• Telefones:
  • (31) 3817-2779 | 9 9125-8311

smilleodontologia@gmail.com      

Muito além do que manter a estética, entender a importância da saúde bucal é a garantia de evitar problemas sérios no futuro e, por isso, os cuidados ainda na infância são fundamentais. Nesse contexto, no entanto, Fortaleza ficou aquém em relação ao cenário nacional, com crianças de cinco anos de idade tendo 6% mais cáries que a média do Brasil, segundo dados da última Pesquisa Nacional de Saúde Bucal, do Ministério da Saúde. Entre os jovens de 15 a 19 anos, o quadro é pior: apresentaram 13% a mais cáries que a média do País.

De acordo com o levantamento, enquanto 86,3% das crianças de cinco anos pesquisadas na Capital tiveram cáries, o número no Brasil ficou em 80,2%. Já a média da região Nordeste é superior a de Fortaleza, com 88,2% das crianças avaliadas nessa condição. Considerando por região, a maior diferença está entre os adolescentes de 12 anos da Região Nordeste, com 14,7% mais cáries que a média brasileira.

Para a odontóloga Lilian Leal, trabalhar no sentido de melhorar a qualidade bucal da população passa pelo incentivo às políticas públicas, especialmente nas escolas. "Seja com palestras para as crianças, ensinamentos de técnicas de escovação, distribuição de escovas dentais. Muitas crianças não têm acesso a essa educação bucal e, quando elas recebem na escola, começam a entender que não só a escovação é importante mas também ter uma alimentação saudável, começam a conhecer os alimentos cariogênicos, e acabam levando esse conhecimento para casa e ensinando aos pais", comenta. Não só as crianças, conforme orienta a odontóloga, mas toda a população deve manter uma prevenção bucal com consultas semestrais, que podem evitar problemas até mais sérios do que as cáries. "A saúde começa pela boca. Antigamente, as pessoas não procuravam o dentista como prevenção. Elas iam só para resolver um problema já existente e isso acabou gerando muito medo. Porém, cada vez mais está aumentando esse acesso preventivo. As pessoas estão entendendo sobre saúde bucal e a tecnologia, com equipamentos melhores, e isso também tem facilitado. A medida que as pessoas vão recebendo informação, elas vão tendo mais acesso ao tratamento, vão perdendo o medo do dentista e vão se cuidando mais".

Periodontal

Já de acordo com o Levantamento Epidemiológico em Saúde Bucal no Estado do Ceará, cerca de 65% dos jovens pesquisados, na de 15 a 19 anos, se encontram com problema periodontal, doença de caráter crônico e origem bacteriana, que afeta o tecido gengival. "Começa quando o paciente não escova o dente, a gengiva fica inflamada e isso leva a formação de tártaro, que se não for removido causa a doença. O paciente começa a perder osso e isso pode levar a perda do dente", esclarece Lilian Leal.

Compartilhe nas redes sociais

A cárie não escolhe idade, gênero ou classe social e é a principal doença relacionada à saúde bucal dos brasileiros. A boa notícia é que ela pode ser prevenida e tratada com higiene, alimentação e visitas ao dentista! Veja mitos e verdades sobre esse mal dos dentes!

Chiclete sem açúcar evita cárie: Mito. Não atrapalha, mas também não ajuda.

Quanto mais pasta de dente, melhor: Mito. Isso atrapalha a escovação.

Comer hortaliças ajuda na saúde dos dentes: Verdade. Ajuda na mastigação pois produz saliva e flúor natural para os dentes.

A cárie pode contagiar: Mito. É uma doença causada por bactérias já presentes na boca.

Comer muito doce aumenta o risco de ter cárie: Verdade. O açúcar serve de alimento para as bactérias.

Compartilhe nas redes sociais

Quando falamos em saúde bucal, não é apenas a correta higienização e consulta regular ao dentista que são imprescindíveis para garantir um sorriso bonito e dentes saudáveis. Também é muito importante evitar algumas bebidas e alimentos. Existem itens muito comuns no cardápio do brasileiro que levam ao aparecimento de cáries, desgastam o esmalte dos dentes, provocam mau hálito, entre outros problemas.

Doces com muito açúcar - Ao ser ingerido, o açúcar entra em contato com bactérias que vivem em nossa boca. Essa placa bacteriana começa a utilizá-lo como fonte energética e, consequentemente, é liberado um ácido que destrói a camada protetora dos dentes. Isso pode causar sensibilidade e também abrir caminho para o aparecimento de cáries. É preciso tomar muito cuidado com bolos, balas e outras guloseimas que tenham excesso de açúcar na composição.

Refrigerantes - Refrigerantes são ácidos e possuem excesso de açúcar, no caso das versões “normais”. Por isso, corroem os dentes, os deixam propensos à cárie e também podem manchá-los, principalmente se tratando dos tipos cola. Os refrigerantes sem adição de açúcar também devem ser evitados por conta da acidez.

Café e chá - A dentista pontua que os dentes podem se tornar permeáveis a algumas substâncias, como alimentos pigmentados e corantes. O café e o chá possuem essa pigmentação e podem manchar os dentes, dependendo da frequência de consumo.

Bebidas alcoólicas - A bebida alcoólica contém substâncias que corroem os tecidos da boca, gengivas, bochechas e dentes, diminuindo a produção de saliva. Essa falta de saliva faz com que a boca fique seca, o que propicia o aparecimento de bactérias. Assim, a chance de desenvolver cáries e mau hálito aumentam consideravelmente. Vale destacar que não é preciso retirar os alimentos citados do cardápio, mas sim regrar esse consumo e realizar a higienização bucal adequada após a ingestão. Também é necessário realizar consultas semestrais com o dentista.

Compartilhe nas redes sociais

Quando ouvimos falar de toxina botulínica, logo pensamos no tratamento para amenizar os sinais de expressão, como as rugas. Mas além de ajudar a suavizar marcas e linhas de expressão, a aplicação da toxina pode ajudar também a tratar outros problemas. Para falar sobre esse assunto, recebemos a médica Ana Paula Possetti, que vai nos ajudar a entender melhor como é usado e para que serve o chamado botox.

Compartilhe nas redes sociais

Na gravidez as mulheres estão acostumadas com uma bateria de exames e consultas médicas. Mas não é só o corpo que precisa de cuidados especiais: é essencial fazer acompanhamento também com um dentista para evitar complicações e riscos para a mulher e o bebê.

Doenças periodontais, aquelas que afetam as gengivas, por exemplo, podem trazer graves consequências. Existem estudos que relacionam essas doenças a partos prematuros ou até mesmo muito prematuros, antes das 32 semanas. Isso é muito perigoso pois coloca o bebê em alto risco.

As gestantes estão mais suscetíveis a desenvolver inflamações na gengiva por conta do aumento dos níveis hormonais do corpo nesse período, e a partir do segundo mês de de gestação já é preciso se atentar caso haja sangramento da gengiva, vermelhidão, inflamação e sensibilidades.

Apesar de ser importante fazer uma avaliação constante, um acompanhamento realizado desde o início da gestação pode prevenir todos esses problemas e garantir uma boca saudável durante todos os nove meses. As consultas odontológicas devem fazer parte do acompanhamento pré-natal de toda mulher. Assim, é possível orientar em cada caso quais são os melhores cuidados e evitar quaisquer problemas.

Compartilhe nas redes sociais

Muitas pessoas acreditam que, por ter apenas dentes de leite, as crianças não precisam ter tanto cuidado com sua saúde bucal. Na realidade, é na primeira infância que se criam os hábitos saudáveis e que se previnem as principais doenças da boca. Por este motivo, a primeira visita ao dentista deve ser aos seis meses de vida, e sempre com um odontopediatra.

É no primeiro ano de vida que se estabelecem os hábitos de higiene oral, amamentação, alimentação e muitas vezes de sucção de chupetas e dedo que, se em desequilíbrio, poderão levar ao aparecimento de cáries, problemas gengivais e maloclusões (mal encaixe entre os dentes e possível desarmonia de língua e lábios).

A saúde dos dentes de leite influencia na saúde geral da criança (mastigação e deglutição) e no seu o convívio social (fala correta e "sorriso"). A idade ideal para levar a criança na primeira consulta ao odontopediatra é a partir dos seis meses, pois o odontopediatra é o profissional habilitado para atender um bebê.

A visita é importante até mesmo para conversar sobre a alimentação da criança. Com seis meses são introduzidas as papinhas na alimentação da criança. O odontopediatra é apto para ajudar o nutricionista e o pediatra a orientar a mãe a ofertar uma dieta correta para a criança, avaliar se o bebê tem dente irrompendo (os dentes de leite nascendo), as condições da mucosa, e orientar sobre os primeiros cuidados na higiene da bucal do bebê. Se já tiver dentes o uso da escova, o creme dental com flúor na quantidade correta... enfim, essas são algumas das orientações dadas aos pais e/ou cuidadores da criança na primeira visita.

É também neste primeiro momento que podem ser detectadas doenças como o freio lingual curto. Caso haja, o odontopediatra avalia se há necessidade de cirurgia ou de acompanhamento. A higiene bucal é fundamental para que não se desenvolva cárie ou doença gengival, e se por acaso surgir uma cárie, tomar cuidados para não ter perda precoce de dente decíduo (leite) e dor. Sem os cuidados necessários, pode haver perda precoce dos dentes de leite e alteração na arcada dentária, com isso, no futuro, a necessidade de uso de aparelho, garante a ortopediatra.

É preciso entender a diferença entre os ortopediatras e os demais cirugiões-dentistas. Ele [o ortopediatra] é capacitado para atender a criança em todas as especialidades. Desde a prevenção, restauração, tratamento de canal, tratamento de gengiva, prótese, cirurgia tudo voltado para bebê, criança e adolescente.

O odontopediatra estuda todas as alterações, anomalias e doenças voltadas para bebês, crianças e adolescentes. É o profissional que sabe como lidar com estas fases, quais os cuidados necessários, informações e orientações para os pais, além realizar o condicionamento da criança, ou seja, atende a criança com cuidado para que ela não tenha medo de dentista no futuro.

Compartilhe nas redes sociais

Clínicas populares oferecem tratamentos como preenchimento facial e toxina botulínica a preços acessíveis, até 50% mais baixos que o mercado

A busca por tratamentos que ajudam a melhorar a autoestima e até mesmo promover uma aparência mais jovem, fez aumentar o número de pessoas que recorrem a procedimentos não invasivos, pois de 2014 a 2016, a procura por eles aumentou em 390%, segundo dados do Censo 2016, o último divulgado pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Os mais procurados durante o período foram: preenchimento, toxina botulínica, peeling, laser e suspensão com fios, respectivamente. Com o aumento da demanda por esse tipo de procedimento, as clínicas médicas populares passaram a oferecer esses tratamentos estéticos com valores até 50% mais baixos do que os praticados em outros consultórios, além da facilidade de parcelamento.

Eles se tornaram uma alternativa para quem deseja melhorar a estética da pele sem precisar recorrer à cirurgias plásticas, e se tornaram populares por não serem permanentes. A Acesso Saúde - sistema de saúde particular sem mensalidade, que oferece atendimento médico e exames por meio de sua rede de clínicas, para a população que não conta com plano de saúde - oferece em suas unidades procedimentos não invasivos como drenagem linfática, peeling, limpeza de pele, preenchimento facial, aplicação de toxina botulínica, entre outros. A rede de clínicas populares viu a procura por esse tipo de tratamento aumentar 20% somente no ano passado.

“O botox, como é popularmente conhecida a toxina botulínica e o preenchimento facial, técnica que ajuda na sustentação da face, com a aplicação do ácido hialurônico em pontos específicos (MD Codes) são os procedimentos mais procurados nas clínicas” comenta Antônio Carlos Brasil, fundador da marca. O empresário conta que um outro procedimento muito procurado pelos pacientes é o peeling, que remove as camadas superficiais da pele e ajuda na produção de colágeno.

Além da qualidade e segurança, os preços oferecidos para a realização dos procedimentos são mais acessíveis, o que de acordo com o empresário motiva a escolha pelas clínicas da marca. “O custo benefício é um aspecto importante a ser considerado para quem deseja preservar a vaidade, por isso sempre buscamos atender a demanda da população, oferecendo um serviço de qualidade e com um preço menor”, explica.

A demanda maior por procedimentos estéticos na rede é feita por pessoas acima de 25 anos, sendo inclusive procurados pelo público masculino. Atualmente, a Acesso Saúde oferece tratamentos estéticos em mais de 20 unidades da rede espalhadas pelo País, com valores até 50% mais baixos do que os praticados pelo mercado.

Compartilhe nas redes sociais
Pagina 1 de 25

Nosso Endereço

Avenida Otávio Soares, 48/ 09, Palmeiras - Ponte Nova/ MG - CEP: 35430-229

Telefones: (31) 3817-2779
Whatsaap: (31) 9 9125-8311

smilleodontologia@gmail.com

Horário de Atendimento: Seg a Sex de 8:00 as 11:30 e 13:00 as 18:00


Marque sua consulta AGORA!

Agende sua Consulta: Informe seus dados abaixo que entraremos em contato agendando um horário de avaliação. Obrigado.
Entrada Inválida
Entrada Inválida
Entrada Inválida