• Telefones:
  • (31) 3817-2779 | 9 9125-8311

smilleodontologia@gmail.com      

Artigos Odontologia

Cristiano B. Paiva

Cristiano B. Paiva

Cristiano é um mineiro nascido em Ponte Nova, casado e pai de 3 lindos filhos! Devorador de conteúdo, ele acredita que o mundo só será melhor com educação e empreendedorismo. Aliás, essa palavra é uma das suas prediletas na vida e também uma paixão sua junto a Odontologia. Cristiano formou-se em Odontologia em 1993 e também é especialista em Odontologia Legal, Implantodontia e em Harmonização Facial.

Responsável pela elasticidade e resistência da pele, o colágeno é uma proteína produzida pelo corpo humano. Contudo, conforme os anos passam, a produção de colágeno diminui cada vez mais, causando perda da firmeza da pele e gerando rugas e flacidez. 

Até alguns anos atrás, a única forma de lutar contra o envelhecimento seria uma cirurgia de lifting facial. Hoje em dia, no entanto, um resultado muito semelhante pode ser alcançado com os fios de sustentação. Neste procedimento, não há mais a necessidade do cirurgião fazer cortes no rosto para levantar os músculos abaixo e, ainda assim, conquistar um efeito rejuvenecedor de forma bem menos invasiva.

Compartilhe nas redes sociais

Se você tem manchas na pele e já procurou uma forma de fazer elas sumirem, é muito provável que você já tenha ouvido falar do microagulhamento. Esse procedimento estético tem feito sucesso no Brasil e no mundo por causa de seu potencial para diminuir manchas e rugas. Quer saber como ele funciona e se ele seria eficaz para a sua pele? Descubra aqui!

Compartilhe nas redes sociais

Você já perdeu algum dente? Seja por causa de traumas físicos, cáries, ou problemas na gengiva, a perda de um ou mais dentes pode ser muito desestabilizante, trazendo problemas de autoestima, além de dificuldades para mastigar. Se você sofre com esse adversidade, o implante dentário pode te ajudar. Nesse texto, você encontra a resposta de todas as suas dúvidas sobre implante dos dentes.

Compartilhe nas redes sociais

O rosto é o cartão de visita de todas as pessoas, por isso não podemos deixar que ele nos decepcione. Se o seu queixo duplo te incomoda ou a gordura do seu pescoço te deixa infeliz, talvez seja o caso de fazer uma lipoaspiração na sua papada. A lipoaspiração de papada, também chamada de liposucção, é um procedimento simples e rápido, capaz de melhorar a aparência e a autoestima de muita gente.

Compartilhe nas redes sociais
Quinta, 10 Setembro 2020 20:23

Bichectomia: será que você pode fazer?

A bichectomia é um procedimento estético que está mais popular a cada dia, especialmente porque as famosas de todo o mundo tem investido no método para ficar com o rosto mais fino, com o contorno bem marcado. No Brasil, segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, o número de bichectomias realizadas mais que triplicou nos últimos anos. Mas afinal, o que é bichectomia? Ela é segura?

Compartilhe nas redes sociais

Todo mundo deseja um sorriso perfeito, com os dentes brancos e alinhados. Afinal, a primeira coisa que se repara numa pessoa é o sorriso, não é mesmo?

Graças às tecnologias atuais, os dentistas podem fazer diversos procedimentos capazes de tornar qualquer sorriso impecável. O clareamento dental é um dos tratamentos mais famosos em consultórios de todo o país e pode evitar muito constrangimento para quem possui dentes amarelados.

Antes de fazer o seu procedimento, que tal conhecer cinco fatos que você muito provavelmente não sabia sobre o clareamento dental?

Compartilhe nas redes sociais
Domingo, 02 Agosto 2020 21:42

Tratamento de canal sem medo

O tratamento de canal é a retirada da polpa do dente, que pode ser necessária em caso de dano, infecções e até mesmo morte da polpa dental. A polpa é um tecido mole onde estão os nervos e os vasos sanguíneos, e no tratamento de canal ela é removida, o espaço é limpo e preenchido, vedando o canal. É um tratamento que salva muitos dentes, já que antigamente o único procedimento para lidar com esse problema era a extração.

Compartilhe nas redes sociais

Médicos alertam que o “motorzinho” do dentista pode ter potencial de disseminação do coronavírus igual ao de UTI de hospital.

Compartilhe nas redes sociais

Face à elevada exposição à Covid-19 por médicos, higienistas, assistentes e demais trabalhadores de serviços médicos de saúde, a Direção-Geral da Saúde (DGS) definiu as novas regras a que os profissionais estão sujeitos para lidar com a pandemia. As clínicas deverão disponibilizar máscaras cirúrgicas, caso o utente não tenha uma, e soluções à base de álcool à entrada das clínicas e consultórios. Não pode ainda haver atendimento presencial sem um prévio contacto remoto com o paciente, via telefone, email ou outro meio.

Foi a primeira atividade clínica a ser suspensa, ainda durante o mês de março, face os riscos da proximidade entre profissionais de saúde oral e utentes. Com a reabertura marcada para esta segunda-feira, a palavra de ordem é agora atenção redobrada no que toca às medidas para evitar o contágio do novo coronavírus.

 

Para o efeito, a DGS emitiu no final da semana passada as indicações para os profissionais de saúde que prestam serviços orais devido à pandemia do coronavírus.

Segundo o documento divulgado pela DGS, as clínicas deverão disponibilizar máscaras cirúrgicas, caso o utente não tenha uma, e soluções à base de álcool à entrada das clínicas e consultórios. “A máscara deve ser usada dentro do espaço de sala de espera ou receção, só removendo quando estiver no gabinete de consulta”, fixa a DGS.

Para os profissionais, o equipamento de proteção individual a usar inclui máscara cirúrgica, óculos de proteção ou viseira, luvas e uniforme e calçado de uso clínico. Bata ou fato de proteção completo, um segundo par de luvas, cógula, touca e cobre-botas devem ser considerados no caso de procedimentos de alto risco ou se o utente foi um caso suspeito ou confirmado de Covid-19.

Após a consulta, as superfícies e o ambiente de trabalho deve ser imediatamente desinfetado. E os profissionais de saúde oral devem “seguir escrupulosamente todos os procedimentos universais de esterilização e desinfeção”. Os equipamentos de proteção individual devem ser descartados em contentores de lixo contaminado.

Deverão ainda ser retiradas das salas de espera as revistas, folhetos, máquinas de café e outros objetos que possam ser manuseados ou tocados por várias pessoas. É também aconselhável a renovação frequente do ar nas salas de espera e a proteção das superfícies mais expostas ao contacto com as mãos, nomeadamente com barreiras plásticas ou papel de alumínio.

De acordo com as novas regras, é também aconselhável a atualização do plano de contingência. Os profissionais deverão ter a informação necessária para agir de acordo com esse mesmo plano.

Conheça as medidas para pacientes e profissionais de saúde, em vigor a partir de hoje

Antes das consultas:

– É aconselhada uma triagem prévia, por via remota, através do telemóvel, por email ou outro meio, para que o utente seja avaliado.

– O utente deve ser questionado sobre a presença de sintomas habituais da Covid-19, como tosse, febre ou dificuldade respiratória registada nos últimos 14 dias e sobre os contactos com casos confirmados ou da doença.

– Caso o paciente apresente sintomas sugestivos de coronavírus, a DGS aconselha a contactar a linha SNS24, 808 24 24 24. Nestes casos, “a consulta de Saúde oral não deve ocorrer”, pode ler-se nas recomendações da DGS. A consulta deve ser posteriormente adiada ou remarcada. Caso a situação seja urgente e inadiável, a DGS recomenda o agendamento da consulta para o final da manhã ou da tarde, “em horários específicos, por forma a não existir a partilha da sala de espera”.

– É desaconselhada a presença de um acompanhante dentro do consultório. Caso a sua presença seja necessária (por exemplo no caso de um utente menor de idade), o acompanhante deve utilizar uma máscara cirúrgica e permanecer sentado a mais de 2 metros de distância.

– O paciente deve evitar tocar nas superfícies quando tal não é necessário. Os pagamentos deverão ser, de preferência, através de meios que evitem o contacto (por exemplo, pagamento eletrónico, terminal de pagamento automático contactless).

– Os profissionais de saúde são aconselhados a retirar adereços como anéis, pulseiras, colares, brincos no momento do atendimento. No momento em que entra no consultório, o clínico e o assistente dentário devem estar previamente equipados com todo o material de proteção.

Durante a consulta:

– Durante a sua consulta deve garantir que não tem os seus objetos de uso pessoal expostos, nomeadamente o telemóvel e a carteira.

– Médicos e assistentes devem também retirar todos os adereços — anéis, pulseiras, colares, brincos e relógios –, bem como manter as unhas naturais, curtas e limpas, sem usar unhas artificiais ou outro tipo de extensores, verniz, gel ou gelinho.

– Uma vez no consultório, os utentes devem ainda cumprir com o distanciamento mínimo de dois metros, evitar tocar em superfícies desnecessariamente e optar pelo pagamento através de meios que evitem contacto físico.

– Nas instalações, a abertura de janelas é preferível em relação ao uso de ar condicionado. Ainda, nesse caso, o seu funcionamento deve ser em modo de extração e não de recirculação de ar.

– Manter sempre a porta fechada do gabinete;

– Devem ser evitada a utilização de procedimentos que resultem na formação de aerossóis devido às gotículas libertadas pelos mesmos. A DGS recomenda a utilização da aspiração cirúrgica para diminuir a disseminação de aerossóis;

– Instruir o utente, antes de qualquer procedimento, a bochechar por 30 segundos com solução de peróxido de hidrogénio a 1%1 ou iodopovidona a 0,2%2;

– Colocar dique de borracha sempre que indicado;

– Utilizar instrumentos rotatórios com válvula antirretorno 3 e usar proteções descartáveis;

– Dar preferência às radiografias extraorais, em detrimento das intraorais;

– Dar preferência à sutura reabsorvível após as extrações;

– Profissionais e consultórios devem ainda “proteger com barreiras plásticas ou em papel de alumínio descartáveis as superfícies mais expostas ao contacto com as mãos do gabinete de consulta”, como é o caso de equipamento informático, da pega do candeeiro, do tabuleiro, painel de comando da cadeira, instrumentos rotativos, entre outros.

Após a consulta:

– As superfícies e o ambiente de trabalho deve ser imediatamente desinfetado após a consulta. Os profissionais de saúde oral devem “seguir escrupulosamente todos os procedimentos universais de esterilização e desinfeção”. Os equipamentos de proteção individual devem ser descartados em contentores de lixo contaminado.

Risco dos Procedimentos para Transmissão de SARS-CoV-2

Segundo a DGS, consideram-se procedimentos de alto risco todas as intervenções que geram aerossóis, nomeadamente, as destartarizações e toda a atividade que requeira o instrumental rotatório (polimento incluído) ou seringa ar-água.

Já procedimentos de baixo risco, a DGS sinaliza  todas as intervenções em que não se prevê que a geração de aerossóis.

Quais são os Equipamento de Proteção Individual que devem ser usados?

Os funcionários da receção devem estar equipados com máscara, óculos de proteção ou viseira, uniforme e calçado utilizado exclusivamente para a função.

Relativamente aos profissionais de saúde oral, estes devem utilizar equipamentos de proteção individual “de acordo com o risco dos procedimentos a realizar”, informa a DGS.

No caso dos procedimentos de alto risco, os mesmos profissionais devem utilizar bata, máscara FFP2 ou FFP3, óculos ou viseira, luvas, touca e calçado clínico.

Para os procedimentos de alto risco, a DGS diz que “pode ainda ser considerada a utilização de duplo par de luvas (cano longo), cógula (opcional) e fato de proteção completo (opcional à bata)”.

Limpeza e desinfeção das áreas e materiais

A limpeza e desinfeção de todas as superfícies fora do gabinete de consulta deve ser realizada com intervalos entre 1-2 horas. Já nos gabinetes, a limpeza deve ser efetuada após cada consulta.

Na lavagem de chão e superfícies devem ser usadas substâncias específicas, nomeadamente o hipoclorito de sódio.

Os óculos e viseiras devem ser pulverizados com álcool e colocados em tabuleiros descartáveis. Enquanto equipamentos reutilizáveis, óculos de proteção e viseiras devem ser pulverizados com álcool a 70º ou submersos numa solução de cloro.

Já a roupa deve ser lavada a altas temperaturas. Caso não haja máquina de lavar no local, deve ser posta num saco de plástico fechado e depois colocada diretamente na máquina.

A orientação emitida pela DGS visa, sobretudo, evitar a transmissão da Covid-19 “e poderá ser revista a qualquer momento, em função da evolução e situação epidemiológica”.

Compartilhe nas redes sociais

Cuidados com o corpo devem ser redobrados em tempos de pandemia, como a atual, causada pelo novo coronavírus. Nesse sentido, estar atento à saúde bucal é um dos elementos essenciais nessa situação. 

 

- Cuidados especiais
Uma das formas de contágio do novo coronavírus se dá pela disseminação de gotículas de saliva. Por isso, se alguém na casa estiver com sintomas ou suspeita da infecção, o uso de escova de dente, talheres e toalha de rosto precisa ser individualizado.

”Importante destacar a necessidade de lavar as mãos antes de fazer a higiene bucal e com frequência ao longo do dia, por no mínimo 20 segundos, e tendo o cuidado de lavar entre os dedos e no pulso”,

- Como fica a consulta ao dentista?
De acordo com orientações do Ministério da Saúde, o trabalho realizado pelos dentistas integra o grupo de serviços essenciais à saúde, mas, por ser uma profissão que trabalha com a boca, requer maior atenção nos cuidados e na proteção. Dentre os casos de urgência, estão dor de dente, sangramentos, traumatismos, abscessos dentários ou periodontais, fratura de dente e restaurações.

 - O que fazer em casos de acidentes dentários?

São mais frequentes em crianças, mas todos estão suscetíveis aos acidentes dentários em casa. Os primeiros socorros podem ser feitos em casa e podem fazer diferença na recuperação. Diversos cenários podem ocorrer: um deles seria a fratura de um fragmento dental e outro seria a queda do dente por inteiro.

No caso de fratura de um pequeno fragmento, caso ache esse fragmento, leve ao dentista. O canal desse dente poderá vir a ser tratado, mas precisará da avaliação e acompanhamento do dentista. 

 “Se o dente cair por inteiro, diferentes medidas são adotadas para o dente de leite e para o dente permanente. O dente de leite NÃO deve ser reimplantado, pois poderia ocasionar uma lesão do dente permanente. Se ocorrer num dente permanente, este poderá ser reimplantado. Alguns cuidados são essenciais nesse momento. Em hipótese alguma, tente limpar ou esfregar o dente. Nessa tentativa, você corre o risco de matar os ligamentos do dente e dificultar um eventual reimplante. É importante lembrar que o dente é um tecido vivo, se ressecar ou morrer no trajeto, não será possível realizar o reimplante.

A pessoa deve colocá-lo em imersão com leite (ou soro fisiológico) e procurar o dentista imediatamente para avaliar a possibilidade de reimplante do fragmento.

Compartilhe nas redes sociais
Página 1 de 24
Image

Onde estamos

Avenida Otávio Soares, 48/ 09, Palmeiras - Ponte Nova/ MG - CEP: 35430-229

Telefone/Whatsapp

Telefones: (31) 3817-2779
Whatsaap: (31) 9 9125-8311

Funcionamento

Seg a Sex de 8:00 as 11:30 e 13:00 as 18:00